Céu de brigadeiro

 

“… nem tudo é dias de sol,

e a chuva, quando falta muito, pede-se

por isso tomo a infelicidade com a felicidade

naturalmente, como quem não estranha

que haja montanhas e planícies

e quando haja rochedos e ervas…

o que é preciso é ser natural e calmo

na alegria e na tristeza,

sentir como quem olha,

pensar como quem anda,

e quando se vai morrer,

lembrar-se de que o dia morre,

e que o poente é belo

e é bela a noite que fica

Assim é e assim seja…

(Fernando Pessoa)

 

 

 

Anúncios