Longe da árvore

ou: um livro que você precisa abrir

Longe da arvore

 

por Camila Von Holdefer

Longe da árvore, publicado pela Companhia das Letras em setembro de 2013, desponta como um livro indispensável.

Em sua coluna no jornal Folha de S. Paulo, o psicanalista Contardo Calligaris classificou-o como “um dos ensaios mais importantes da última década”. Calligaris não é o primeiro a se mostrar genuinamente impressionado com a qualidade e a magnitude da pesquisa.

Descrever o que Andrew Solomon entrega em Longe da árvore é ao mesmo tempo fácil e inviável. É fácil (ainda que terrivelmente simplificador) dizer que Solomon produziu uma investigação exaustiva sobre a forma pela qual certas características dos filhos afetam e determinam as relações com seus pais. O que parece inviável é a ação de apreender e relatar uma experiência mais profunda de leitura — que, apesar de variar de um leitor para o outro,

1. certamente será transformadora;

2. espelha a riqueza das nuances contidas no livro.

Minha experiência de leitura envolve adjetivos como “encantadora”, “fundamental” e “reveladora”. Isso se deve a uma equação equilibrada a que o autor parece ter chegado — mistura de rigor incansável e sensibilidade aguda.

Leia mais e/ou acesse o booktrailer deste livro

video1
 

 

 

 

 

Anúncios