Fotógrafa capta o cotidiano de menina criada por pais viciados em droga

por João Diogo Correia

Irina Popova

Fotografia: Irina Popova

Tudo começou em 2008, quando a fotógrafa russa Irina Popova foi desafiada a criar um ensaio sobre sentimentos.

Vagueando pelas ruas de São Petersburgo em busca de inspiração, esbarrou em Lilya, visivelmente embriagada, que transportava consigo um carrinho de bebê. Lá dentro ia a filha, Asfina.

A mulher, que Popova viria a saber depois, estava há vários anos dependente das drogas, acabou por convidar a fotógrafa a conhecer o apartamento e o namorado com o qual o partilhava.

Pasha, também viciado, é pai de Asfina. Assim nascia o que viria a ser o livro “Another Family”.

Durante várias semanas, Popova captou de forma crua, mas fiel, a realidade dentro daquelas quatro paredes.

O apartamento confuso e barulhento, as festas lotadas, os pais dormindo pelos cantos e sob o efeito das drogas e a pequena Asfina, crescendo no meio do caos.

O ensaio de Popova ganhou uma dimensão maior assim que as fotos se começaram a espalhar pela Internet, com várias pessoas se reunindo para pedir que Asfina fosse retirada aos pais.

E lançou outro debate: deve o fotógrafo retratar o que vê de forma intocada, como um mero observador social, ou era obrigação de Popova intervir na realidade que documentava?

fotografa irina 2

 

Participe da nossa enquete. O que leva uma pessoa a usar DROGAS?

 

 

Anúncios