Desde 1966*

 

mascotes

As mascotes desempenham um papel cada vez mais importante na Copa do Mundo da FIFA, já que elas representam o lado divertido da competição. Assumindo a forma de animais, frutas, figuras infantis ou personagens abstratos, elas ajudam a criar o clima de Copa do Mundo antes e durante o torneio, de uma maneira muito especial e com alegria contagiante.

No entanto, as mascotes não servem apenas para promover o evento e alegrar a torcida nos estádios. Elas também acabam se transformando em verdadeiras “celebridades” internacionais, presentes em produtos licenciados e campanhas de merchandising das parceiras comerciais da Copa do Mundo da FIFA.

A primeira Mascote Oficial foi apresentada na edição da Inglaterra 1966*: Willie era um leão que vestia uma camisa com a bandeira britânica. Além de ser uma mascote “viva”, ele apareceu em desenhos que foram usados para promover o torneio e foi o tema da Música Oficial. Ao mesmo tempo em que simbolizava os interesses nacionais do país anfitrião, Willie era uma maneira de mostrar ao resto do mundo que o evento seria diversão garantida para todos.

  • Inglaterra 1966 — Willie (leão)
  • México 1970 — Juanito (menino)
  • Alemanha Ocidental 1974 — Tip e Tap (dois meninos)
  • Argentina 1978 — Gauchito (menino jogador de futebol)
  • Espanha 1982 — Naranjito (laranja)
  • México 1986 — Pique (pimenta)
  • Itália 1990 — Ciao (jogador montado com blocos de armar)
  • EUA 1994 — Striker (cão)
  • França 1998 — Footix (galo)
  • Coreia do Sul/Japão 2002 — Ato, Kaz e Nik (figuras futuristas)
  • Alemanha 2006 — Goleo VI e Pille (leão e bola falante)
  • África do Sul 2010 — Zakumi (leopardo)
  • Brasil 2014 — Fuleco (tatu-bola)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios