O amor

 

amo6

 

Somos invisíveis aos olhos do mal…

O amor comeu meu nome, minha identidade, meu retrato…

O amor comeu minhas roupas, meus lenços, minhas camisas…

O amor comeu minha altura, meu peso, a cor dos meus cabelos e olhos…

O amor comeu na estante todos os meus livros de poesia…

Faminto, o amor devorou minha infância, os dedos sujos de tinta, as botinas nunca engraxadas…

O amor comeu minha paz e minha guerra.

Meu dia e minha noite.

Meu inverno e meu verão.

Comeu meu silêncio, minha dor de cabeça, meu medo da morte.

 

João Cabral de Melo Neto

 

 

 

 

Anúncios